26/07/2007

Ruas de Pedras

Adicionar imagemMe perco nas ruas, ruas de pedra no ato mecânico de andar, meus olhos estão cegos, cegos de lágrimas,vejo apenas vultose rostos esquálicos envolvidos no pensar angustiante de mais um diade vida. Mas é um dia tão igual tão sem ar, sem luz. Uma agonia me toma de assalto,um transeunte chama atenção, chega devagar, senta-se num vago, solitário banco, perto da praça. Parei, o ar me faltou sim era ele, ele que estava alina minha frente olhando,sem me ver. Levanta-se num rompante. Sai em passos errantes. Uma agonia pulsa em meu peito. Alí nas ruas de pedras passos largos e cansado sem meio a multidão de rostossai em sentido oposto destino oposto ao meu...
Marta Peres



4 comentários:

Maria Flor! disse...

Bravo! Parabéns...
Lindo seu blogger, maravilhoso!
Vou ler suas poesias e iria comentando.
Virei sua fã de carteirinha.
Muita Luz!

Beijos da Flor!

Teca disse...

Adorei o seu blog......assim que der irei comentar suas poesias. Bjs com todo carinho da amiga M.Thereza/Teca

universo em poesias disse...

Simplesmente AWEN!!

Paula disse...
Este comentário foi removido pelo autor.